Av. Olegário Maciel, nº 311 3º andar sala 304
CEP: 30180-110 - Centro - Belo Horizonte - MG
Tel: (31) 3271-8428 

 
Brasil é Ouro no masculino no Chile

Jogo cheio de rivalidade terminou 25 a 23, após duas prorrogações. Brasileiros comemoraram o ouro, assim como a equipe feminina

Brasileiros sobem ao pódio

 

Viña del Mar (CHL) - Com muita emoção e muito equilíbrio em uma partida cheia de rivalidade, a Seleção Brasileira Masculina de Handebol conquistou o bicampeonato dos Jogos Sul-Americanos, neste domingo (16). Contra a Argentina, depois de duas prorrogações, a equipe garantiu o ouro, no Gimnasio Polideportivo de Viña del Mar, no Chile. O placar final ficou em 25 a 23 (13 a 14 no primeiro tempo). A diferença foi pouca, mas com um sabor mais do que especial. 
 
A equipe brasileira repetiu o feito de 2010 na Colômbia, quando venceu também a final contra os argentinos. Sendo assim, assegurou uma das três vagas para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, em 2015. O Chile conquistou o bronze ao vencer em casa o Uruguai, também neste domingo, por 27 a 21. O Uruguai, quarto colocado, disputa a repescagem em uma nova ocasião, para buscar a classificação. A quinta posição ficou com a Venezuela, depois de vencer a Colômbia, por 26 a 19.
 
Como sempre entre os rivais da América do Sul, a partida começou bastante tensa e cheia de provocações de ambos os lados. Os argentinos entraram com uma defesa muito forte, quebrando o ataque brasileiro nos primeiros momentos e conseguiram tomar a frente no placar. O jogo seguiu nervoso e cheio de exclusões para as duas equipes. Pelo lado brasileiro, o pivô Vinícius foi expulso após um lance duvidoso e a saída complicou bastante as coisas para o Brasil. Apesar de estar com uma defesa forte também, a Seleção verde e amarela jogou a etapa todo o tempo atrás no placar e conseguiu se aproximar no marcador apenas no final do primeiro tempo, terminando um gol atrás.
 
O segundo tempo seguiu igualmente equilibrado, mas os brasileiros voltaram com uma postura mais agressiva e ainda mais concentrados. A receita deu certo. O placar terminou igual em 21 gols, o que obrigou as equipes a partirem para a prorrogação. Os primeiros cinco minutos não foram suficientes para definir o confronto, pois com 23 a 23, tiveram que jogar mais cinco minutos. Nesse período o Brasil neutralizou o ataque da Argentina e conseguiu fazer mais dois gols, enquanto o adversário não voltou a colocar a bola na rede. 
 
"A saída rápida de dois jogadores importantes, que estávamos observando durante todo o campeonato para que pudessem jogar hoje nos alterou toda a dinâmica da partida", disse o treinador referindo-se à expulsão do pivô Vinícius e a uma lesão no tornozelo do armador Valadão, que impediu que ele jogasse a partida completa.
 
Jordi destacou o equilíbrio emocional que a equipe precisou ara vencer, depois de um jogo tão acirrado. "Temos que ficar felizes porque sabemos que alguns jogadores ficaram até o final com sacrifício. Foi uma partida mais de coração do que de cabeça. Nos custou muito atacar a defesa argentina e também nos precipitamos muito, talvez porque nos jogos anteriores encontramos muitas facilidades. Nas prorrogações poderia ter passado qualquer coisa, por isso, a entrada do Maik foi importante e também a serenidade. Quando conseguimos os dois gols de vantagem foi o momento decisivo."
 
O goleiro Maik fez excelentes defesas no final do confronto, o que fez uma grande diferença no andamento do placar. Ele é um dos mais experientes do grupo e também fez parte da conquista de 2010. Para ele, repetir este momento é algo muito gratificante. "Jogar contra a Argentina é assim, cheio de rivalidade. Eles são muito aguerridos, não desistem nunca e hoje não foi diferente. Foi um jogo emocionante", frisou. 
 
O paulista conta que no o nervosismo atrapalhou um pouco no começo. "Conseguimos nos acertar no decorrer da partida. Estávamos um pouco apreensivos. Eu tomei alguns gols por falta de atenção. Mas, consegui voltar concentrado para ajudar a esse grupo que merece. Lutamos até o final. Tudo o que queremos conquistar tem que ser lutando", encerrou Maik.
 
A conquista masculina se junta à da Seleção Feminina que também garantiu a medalha de ouro na competição, após somar o maior número de pontos depois de cinco rodadas. Os outros lugares do pódio também se repetiram, com a Argentina em segundo e o Chile em terceiro. 
 
Tabela Masculino
(horário de Brasília)
 
Sábado (8)
Brasil 36 x 19 Venezuela
Uruguai 29 x 20 Paraguai
Argentina 26 x 24 Chile
 
Segunda-feira (10)
Venezuela 30 x 17 Paraguai
Uruguai 19 x 37 Brasil
Chile 31 x 23 Colômbia
 
Quarta-feira (12)
Brasil 41 x 14 Paraguai
Colômbia 15 x 39 Argentina
Venezuela 18 x 20 Uruguai
 
Sexta-feira (14)
Colômbia 24 x 34 Paraguai (definição de posições)
Argentina 23 x 14 Uruguai - semifinal
Chile 22 x 33 Brasil - semifinal 
 
Domingo (16)
15h - Colômbia x Venezuela (definição do5° ao 7°)
17h - Chile x Uruguai (disputa do bronze)
19h - Brasil x Argentina (disputa do ouro)
 
Tabela - Feminino
(horário de Brasília) 
 
Sexta-feira (7)
Paraguai 17 x 26 Argentina
Chile 27 x 33 Uruguai
 
Domingo (9)
Uruguai 24 x 32 Paraguai
Chile 22 x 36 Brasil
 
Terça-feira (11)
Argentina 25 x 15 Uruguai
Brasil 35 x 8 Paraguai
 
Quinta-feira (13)
17h - Argentina x Brasil 
19h - Paraguai x Chile
 
Sábado (15)
17h - Uruguai x Brasil
19h Chile x Argentina
 
Seleção Feminina de Handebol
 
Goleiras - Bárbara Arenhart (Hypo Nö-Áustria) e Jéssica Oliveira (Supergasbras/UNC/Concórdia-SC).
 
Armadoras - Amanda Claudino de Andrade (Supergasbras/UNC/Concórdia-SC), Deonise Fachinello Cavaleiro (Hypo Nö-Áustria) e Patrícia Batista da Silva (Toulon-França). 
 
Centrais - Ana Paula Rodrigues Belo (Hypo Nö-Áustria), Deborah Hannah Pontes Nunes (Metodista/São Bernardo-SP), Francielle Gomes da Rocha (Hypo Nö-Áustria) e Mayara Fier de Moura (Blumenau/FURB-SC). 
 
Pontas - Alexandra Nascimento (Hypo Nö-Áustria), Célia Janete da Costa Coppi (Metodista/São Bernardo-SP), Fernanda França (Hypo Nö-Áustria) e Samira Pereira da Silva Rocha (Mios Biganos Handball-França). 
 
Pivôs - Elaine Gomes Barbosa (Assoc. Cult. e Esp. Força Atlética-GO), Fabiana Carvalho Diniz (Hypo Nö-Áustria) e Regiane dos Santos Silva (Metodista/São Bernardo-SP). 
 
Seleção Masculina
 
Goleiros: Luiz Ricardo Milles do Nascimento (TCC/Unitau/Fecomerciários/Tarumã-Taubaté), Maik Ferreira dos Santos (TCC/Unitau/Fecomerciarios/Tarumã-Taubaté).
 
Armadores: Arthur Malburg Patrianova (Naturhouse La Rioja-Espanha), Fernando José Pacheco Filho (EC Pinheiros-SP), Guilherme Valadão Gama (Assoc. Deportiva Ciudad de Guadalajara-Espanha) e José Guilherme de Toledo (ACEU/Univali/FMEBC-SC). 
 
Centrais: André Vinícius Mendes Silva (TCC/Unitau/Fecomerciários/Tarumã-Taubaté), Diogo Kent Hubner (TCC/Unitau/Fecomerciários/Tarumã-Taubaté), Henrique Selicani Teixeira (TCC/Unitau/Fecomerciários/Tarumã-Taubaté) e Thiago Roberto Torres dos Santos (São José dos Campos-SP). 
 
Pontas: Arthur Medeiros Ataliba de Sousa (EC Pinheiros-SP), Cléber Antônio de Andrade (TCC/Unitau/Fecomerciários/Tarumã-Taubaté), Fábio Rocha Chiuffa (Metodista/São Bernardo-SP) e Wesley de Freitas (TCC/Unitau/Fecomerciários/Tarumã-Taubaté). 
 
Pivôs: Felipe Venâncio Santaela (EC Pinheiros-SP) e Vinícius Santos Teixeira (EC Pinheiros-SP).
 
Comissão técnica
Técnico: Jordi Ribera
Assistente técnico: Washington Nunes
Supervisor: Cássio Marques
Fisioterapeuta: Gustavo Barbosa
Mais Notícias
Comentários
 
Destaque
 
Nossos Ídolos
Histórias do Handebol Mineiro. Saiba mais.
 
 
 
Home Federação Filiados Arbitragem Competições Ídolos / História TJD Fale com a Federação